Regras

  1. A parte do corpo que recebe o jato teraêutico deve estar com a temperatura morna, agradável. Nunca aplicar o jato terapèutico se tiver  por exemplo com pés gelados. Deve-se antes aquecer a parte do corpo, seja com água quente, com roupa ou movimento.
  2. A temperatura do ambiente deve ser agradável, sem correr um vento fresco.
  3. O jato terapêutico demora somente alguns segundos.
  4. Depois da aplicação somente retire a água com a mão sem usar uma toalha.
  5. Não fazer aplicação logo após uma refeição.
  6. Não fazer uma aplicação após outra. É preciso observar um intervalo de duas horas.
  7. Antes da aplicação expirar e quando se inicia a aplicação, então inspirar. Depois não prende a respiração, mas continue respirando calmamente.

 

«Durante o jato cale a boca, se não a ação fica oca.»  Sebastião Kneipp

 

 

 

O jato terapêutico é um contínuo de água aplicado sobre uma parte do corpo ou sobre o corpo todo. A parte afetada do corpo fica coberta por uma capa suave d’água. A mangeira do jato tem 2 metros de comprimento com um diátmetro interno de 2 cm.

A força do jato está correto quando o jato ultrapassa levemente a largura da mão.

O jato provoca na parte aplicada do corpo uma resposta e reação do organismo. Na aplicação de um jato com água fria recebemos como resposta reativa uma maior circulação do sangue, que resulta num aquecimento. O jato, então tem influência na regulação da circulção do sangue,  do sistema nervoso, do metabolismo e na eliminação da urina. E desta maneira consegue alcançar certas metas terapêuticas desejadas. O jato causa também um estímulo mecâncio na pele.

A graduação do estimulo depende
– da extensão da aplicação
– da variação da temperatura
– da variação da pressão

O sucesso do trainamento se dá com a variação:

1. Que parte do corpo? parte de cima – ou de baixo – ou o corpo todo
2. Que tipo de estímulo ou frio – ou quente – ou alternando
3. Que intensidade mais forte – mais fraco

Quanto mais fria a água, menor a duração, melhor o efeito.

Knieguss – Kleine Zehe bis eine Handbreit über die Kniekehle
Schenkelguss – Kleine Zehe bis zur Hüfte
Armguss – Fingerspitzen bis zur Schulter
Brustguss – Arme und Brust
Oberguss – Ganzer Oberkörper
Vollguss – Ganzer Körper
Gesichtsguss – Mit abgeschwächtem Wasserstrahl
Augenguss – Mit abgeschwächtem Wasserstrahl
Nackenguss – Nacken
Lumbalguss – Gesäss

«Durante o jato cale a boca, se não a aplicação fica oca.» Sebastião Kneipp

Der kalte Gesichtsguss

Der Gesichtsguss wird in der Kneipptherapie auch der Schönheitsguss genannt. Er ist eine sehr leichte und ausgesprochen erfrischende Anwendung und bringt eine angenehme Durchblutung der Gesichtshaut. Seine anregende Wirkung auf die Kopforgane macht ihn zur erquickenden Schnelltherapie für Kopfarbeiter.

Technik
Mit abgeschwächtem, drei Finger breitem Strahl giessen. Man legt ein Handtuch um den Hals, um die Kleider zu schützen und beugt den Kopf über die Badewanne. Der Guss beginnt auf der rechten Stirnseite, führt nach links und zurück nach rechts. Dann mit einigen Längsstrichen von der Stirn zum Kinn fahren, erst rechts, dann links. Nun mehrmals das Gesicht umkreisen. Zwischendurch tief ein- und ausatmen. Guss beenden über die Stirnmitte abwärts zur Nasenspitze und zum Kinn. Das Gesicht trockentupfen.

Wirkung
Hautstraffend, angenehme Durchblutung der Gesichtshaut, ausgesprochenes Erfrischungsgefühl.

Zu empfehlen bei
– Augenmüdigkeit
– Katarrhanfälligkeit als Abhärtung
– Geistiger Arbeit
– Kopfschmerzen durch schwache Durchblutung
– Akne

Nicht bei Augenleiden, grünem und grauem Star, Schnupfen, akuten Nebenhöhlenerkrankungen, Nervenentzündungen des Gesichts.

Gesichtsguss

Illustrationen Rolf Stickel

Kalter_Gesichtsguss

Illustrationen Rolf Stickel

 

Menu